28 de fev de 2003

A Escola Austríaca de Economia

Na concepção da Escola Austríaca de Economia a ciência econômica sofreu um grande retrocesso quando da criação da metodologia em que separa a ciência econômica em microeconomia e macroeconomia.

Segundo os manuais convencionais, a microeconomia é a metodologia em que analisa o comportamento entre ofertantes e demandantes. Assim sendo, isto pode ser analisado, por exemplo, de um lado, todos os ofertantes de sabonete (todos os fabricantes das mais diversas marcas de sabonetes) e de outro lado, todos os consumidores do produto. Assim como, pode ser investigado somente os ofertantes de uma determinada marca de sabonete e seus respectivos consumidores. Esse é o postulado básico da denominada microeconomia: analisar a relação, a interação; o comportamento entre a oferta e a demanda.

Por sua vez, a macroeconomia se preocupa com o geral (o nome já diz, MACRO), isto é, com os chamados agregados econômicos. Por exemplo, o PIB de uma cidade ou país; o comportamento dos preços, a inflação; a taxa de juros; com o nível de emprego; a taxa de câmbio; a balança comercial; o nível de poupança; o nível de investimento; as condições financeiras do setor público; enfim, a situação econômica de uma nação ou região num deterninado período. Esse é o postulado básico que diferencia na análise econonômica a microeconomia e a macroeconomia.

No entanto, para os teóricos da Escola Austríaca de Economia essa divisão representa na verdade uma farsa teórica somente conveniente para a classe dos economistas, que podem se utilizar de uma ou outra metodologia para esplanar uma receita, um programa, uma análise sobre determinado aspecto econômico, que em si representa uma alternativa aos economistas de plantão para externar aos incautos sua bela sabedoria econômica, assim como, facilitar a vida dos políticos.

Segundo os economistas "austríacos" essa dicotomia entre "microeconomia" e "macroeconomia" peca mais do que em qualquer sentido num fator fundamental para se analisar a enconomia, aliás, o ente mais importante na investigação da ciência econômica: o homem.

A teoria econômica da Escola Austríaca criada em fins do século XIX pelo economista Karl Menger principia sua investigação precisamente na ação humana, na ação dos indivíduos, levando em conta a característica universal da humanidade, isto é, a diferença entre os homens. Reconhece ela, portanto, que os indivíduos são diferentes entre si, que existe uma escala de valores particular e individual, ou seja, reconhce que os gostos e as preferências são individuais, subjetiva e intransferíveis. É por isso que a escola austríaca também é conhecida como a Teoria Economia Subjetivista.

O Postulado da ação humana foi criado monumentalmente pelo arguto economista Ludwig von Mises, que é considerado o terceriro grande economista da Escola Austríaca, após o fundador Menger e seu aluno Eugen von Böhm-Bawerk
A teoria Austríaca, se levar em conta o convencionalismo econômico, pode ser considerada uma teoria "microeconômica", pois ela postula sua metodologia a partir da ação humana e não dos "agregados econômicos".

É reconhecedo que o homem age e age invariavelmente com o intuito de sair de um estado de menos satisfação para outro de maior satisfação, que a escola subjetivista sustenta todo seu postulado teórico, que vai desde a teoria do valor; passando pela teoria monetária, até a teoria dos ciclos e do crescimento econômico.

Existem no Brasil alguns bravos guerreiros que estão fazendo um trabalho monumental em divulgar entre nós os fudamentos iniciais e acabados da Escola Austríaca de Economia. Entre eles, destaca-se a obra do professor Ubiratan Jorge Iorio "Economia e Liberdade" que aloja na internet um maravilhoso website onde dispõe de vários artigos e até alguns capítulos de seu livro onde os ensinamentos da Escola Austríaca é desenvolvido com sublime competência.

Ainda é possível através da internet ler os textos desenvolvidos por Alceu Garcia, este que foi um dos principais divulgadores da Escola Austríaca no Brasil onde ele nos apresenta análises de extrema lucidez, na maioria das vezes fazendo o imprescindível contraponto entre as teses marxistas e keynesianas que predominam no ambiente acadêmico nacional frente a teoria Austríaca, elucidando o postulado irrefutável desta Escola. Seus textos são um primor.

Além desses existem outros guerreiros, como o ilustre Embaixador J. O. de Meira Penna, vide "Opção preferencial pela Riqueza" (ed. Instituto Liberal) que não trata especificamente desta escola, mas que está embutido e citado os preceitos filosóficos e sociológicos de Ludwig von Mises e seu discípulo F. A.von Hayek.

Outros impecáveis escritores também estão fazendo parte deste seleto grupo como o Álvaro Velloso Carvalho, o Martim Vasques da Cunha e o Marcello Tostes do Indivíduo e o Evandro Ferreira.

É preciso mais do que nunca mostrar o caminho da verdade em ciência econômica, apresentar ao público nacional o que de melhor já se produziu sobre o assunto; as melhores idéias; as verdadeiras. Nossa sociedade, sobreduto a elite pensante que como diz o eminente filósofo Olavo de Carvalho, é a formadora da consciência de um povo, está abitolada e emburrecida pela fantasia dirigista, estatista, reguladora e paternalista, todos influenciados pelo keynesianismo e seus derivados, quando não pelo caminho mais rápido ao suicídio coletivo que é o veneno fatal do marxismo.

Assim sendo, divulgar os pensadores da Escola Austríaca e seus ensinamentos é um dever de civismo de todos aqueles que cultivam o bom senso e defendem um salutar progresso da humanidade por meio do efetivo desenvolvimento econômico.

Por fim, sugiro alguns sites e links sobre a Escola aqui reverenciada:

Professor Ubiratan Iorio: www.ubirataniorio.hpg.com.br
Marcello Tostes, Martim Vasques da Cunha e Álavaro Velloso Carvalho: www.oindividuo.com
Alceu Garcia: http://oindividuo.com/convidado/alceu0.htm e vide um dos melhor artigos sobre economia clicando aqui.
J. O. de Meira Penna: www.meirapenna.org
Evandro Ferreira www.outonos.com e aqui e aqui.
Nivaldo Cordeiro: www.nivaldocordeiro.hpg.com.br outro bravo guerreiro!
Instituto Liberal: www.il-rs.com.br e www.institutoliberal.org.br
Blog: www.austriaco.blogspot.com

24/02/2003


Nenhum comentário: