11 de dez de 2008

Quem ri por último ri melhor: a saga de Peter Shiff

Muitos economistas austríacos há algum tempo já vinham alertando para uma bolha de crédito no mercado imobiliário. Mas o alerta não se limitava no mero aviso. Revelavam didaticamente como tal bolha conduziria a economia ao declínio e à depressão pois, como sabemos desde Mises, a injeção artificial de crédito na economia, embora gere inicialmente um "boom" econômico, no fim das contas é a matriz das grandes depressões. Interessante é a insistência do economista Peter Shiff, economista da linhagem austríaca e comentarista da Fox News, que desde 2006 aparece na TV falando para onde a tal bolha nos conduziria. No entanto, um vídeo no Youtube mostra como ele foi tratado em diversas ocasiões ao alertar o mundo sobre a iminência de uma grande crise econômica. Trataram-no com rizinhos e deboches, mas suas predições se revelaram acertadas e no fim Shiff pôde rir melhor, não fosse tratar-se de um vaticínio bastante desagradável. Confira aqui o vídeo. É imperdível.


Importante detalhe: a teoria austríaca do ciclo econômico não mostra que a economia está por entrar numa depressão baseada em "tendências" gráficas ou estatísticas. Longe disso. Sua teoria é baseada na ação humana (praxeologia), fundamentada de tal modo que mediante a ocorrência de determinado evento (no caso um aumento artificial do crédito pelo governo) ela nos garante com certeza apodítica que na frente teremos um declínio econômico ou depressão. A visão abrangente da teoria pode ser conferida no livro "Ação Humana" de Ludwig von Mises. Tal obra, não custa lembrar, é leitura indispensável para um economista ou estudioso das ciências sociais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Prezado Lucas,

Gostei muito do vídeo. Mises mais uma vez se provou correto. Agora tenho em Peter Shiff um novo ídolo. Apesar de não ser economista, gosto de economia e estou lendo vários do Mises Institute. Eles me ajudaram a salvar meus investimentos antes de a crise chegar. Iniciativas como a do seu blog deveriam acontecer em todo país. Será que nossos Governantes não perceberam que o Keynesianismo está morto? Por que eles se apegam a algo que dá errado? Eu como Engenheiro nunca compreendi isso. A gente tem que aplicar a teoria que leva a resultados corretos e parace que só a Escola Austríaca conseguiu esse feito.

Saudações!