6 de set de 2009

Razão e evolução: a epistemologia da ordem liberal

Por Bruno Meyerhof Salama e Lucas Mendes

O primeiro tema tratado por Hayek em Direito, legislação e liberdade é a racionalidade humana. A preocupação de Hayek está em resgatar a correta epistemologia para se pensar uma ordem liberal. Trocando em miúdos: o que sabemos (e o que não sabemos) sobre o mundo? E o que permite sequer pensar na construção de uma ordem liberal?


Hayek parte de uma bipolaridade: a oposição entre duas perspectivas para se avaliar as instituições e práticas humanas. A primeira é racionalista e privilegia o planejamento; a segunda é evolucionista e enfatiza o surgimento espontâneo das instituições e práticas. À primeira, Hayek dá o nome de “racionalismo construtivista”; à segunda, de “racionalismo crítico” ou “evolucionista”. Cada uma delas nos encaminha em sentidos distintos, tanto do ponto de vista descritivo (como explicar o surgimento das instituições e práticas existentes) quanto do ponto de vista prescritivo (como se pode alterá-las intencionalmente).

Na íntegra Ordem Livre.org

Um comentário:

léo guedes disse...

Prezado Lucas. Li com interesse o texto e lembrei-me de destacar um fato que ocorre ccom a própria ciência física. É inegável que se trata de um processo evolutivo. Quem estudou ciência sabe que seu avanço se deu na busca de instrumentos fora do alcance limitado dos nossos sentidos. Dependemos dos equipamentos e aparelhos que vão sendo aprimorados e mesmo criados para que possamos desvendar os segredos que a natureza encerra. Analogamente se dá na busca de modelos ideais sociais. Seria uma contradição admitirmos viver num sistema aberto e, ao mesmo tempo, procurar fechá-lo por um racionalismo que por si só é arrogante. Como diria a letra da música de Gilberto Gil, a perfeição é uma meta. Mas que não tem ponto de chegada.

Abraço

Léo