7 de fev de 2003

Olá! Achei um Cyber Café aqui em Itapema, mas não estou conseguindo ver meus e-mails, certamente devido a problemas no servidor que realmente é uma porcaria. Aproveito, então, a oportunidade para novamente tocar no assunto chave para mudar os rumos desta titubeante Nação: a extorsiva carga tributária que corrompe, extupra e inviabiliza a economia nacional de produzir emprego e renda, reduzir a desigualdade e gerar o desenvolvimento. Do Ponto Crítico de hoje. O Simões Pires é demais! Fala aí:

CARGA TRIBUTÁRIA - Com a cara mais deslavada deste mundo, o governo declarou alto e bom som que a nossa carga tributária alcançou a expressiva participação de 36,4% do PIB. Fantástico. Ou melhor, um horror. Não existe na face da Terra nenhum país com tal arrecadação e que tenha feito tão pouco pela sociedade. Com tudo o que arrecada, ainda apresenta déficit público, o que identifica que só o imposto à vista é 36,4% de tudo que produzimos. Somado com o imposto a prazo – o déficit -, leva o total para mais de 40% do PIB. Para que melhor compreendam o acréscimo de arrecadação nos últimos anos, observem que nenhuma atividade, legal ou criminosa, teve desempenho tão espetacular. Ninguém conseguiu tamanha façanha, que ainda por cima é monopolista. A pirataria, que cresce a galope aqui e no mundo, ficou para trás sem a mínima chance de ter sido tão competitiva. E ainda tem gente que vive pedindo a prisão dos piratas. Precisamos nos proteger, antes de tudo, é dos governantes. São bem mais perigosos do que os demais criminosos.

Perfeito! Infelizmente trágico e pelo que observa-se essa nevrálgica realidade não se reverterá se novas condutas políticas - ou seja, uma que não seja de cunho esquerdista - não forem tomadas pela nova classe governante.

Eu, pessimistamente, não creio.

Nenhum comentário: